dinheiro

Texto: Kayam Mendes
Arte: Rômulo Pacheco

Todo mundo quer. Muitos têm pouco e poucos têm muito. Alguns o usam para viver e outros vivem por ele. Conheça um pouco da história do dinheiro, essa estranha invenção da humanidade.

Gato por lebre
O dinheiro surgiu porque as pessoas começaram a ter sérias dificuldades para fazer trocas. Nem sempre se chegava a um consenso sobre o valor das coisas. Três peixes valeriam um porco? Cinco porcos valem uma vaca? Complicado, né?

Rostinho famoso
As primeiras moedas surgiram na Lídia, a atual Turquia, no século VII a.C. Elas registravam símbolos religiosos e fatos culturais. Acredita-se que o primeiro líder político a ter a imagem estampada em uma moeda foi o conquistador Alexandre, o Grande.

O peso da fortuna
Uma das moedas mais bizarras de que se tem notícia surgiu na Ilha Yap, que fica no Pacífico Sul e integra os Estados Federados da Micronésia. O Fei era feito de calcário e podia pesar até cinco toneladas. O que determinava o valor era sua pureza e a lapidação.

Passa o sal
Salário tem origem no latim salarium argentum. O termo se refere ao pagamento dos soldados no Império Romano, que era feito em… sal. Aí, sim, o imperador tinha razão em reclamar: “O salário dos soldados está salgado demais para o meu gosto.”

Ticket grana
O dinheiro em papel surgiu na Idade Média. As pessoas deixavam seus bens com uma espécie de banqueiro e, em troca, ganhavam um recibo comprovando as posses. Com o tempo, o próprio recibo virou moeda de troca.

Na real
O Real foi a primeira moeda a circular no Brasil, trazida pelos portugueses durante o período colonial. Por isso, não podemos dizer que é uma legítima brasileira. E, ao contrário do que muitos pensam, Réis é só o plural de Real, não outra moeda.

A febre do frango
Em 1994, ano em que o Plano Real  foi implantado, os hábitos dos brasileiros passaram por algumas transformações. Um único real era suficiente para comprar 1 quilo de frango. Na época, o consumo da carne de frango subiu de 14 para 40 quilos por pessoa ao ano.

Pague 100 leve 1
As notas de 1 real, aquelas verdinhas, deixaram de ser produzidas há exatos 8 anos, em janeiro de 2006. Hoje, como estão fora de circulação, um colecionador paga até 100 reais por uma cédula dessas – desde que esteja em boas condições.

Papelão VIP
O cartão de crédito é uma invenção americana da década de 1920. Feito de papelão, ele era aceito apenas em restaurantes, hotéis e postos de gasolina. E só os clientes fieis das empresas podiam usar. A versão de plástico surge em 1955.

 

Fonte: Antônio de Pádua Pacheco, mestre em História Social pela Universidade de São Paulo e professor do Ensino Médio em São Paulo.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s