O jornalismo no Brasil é feito por uma maioria de brancos e homens. Só que gente diferente desse padrão é necessária para aumentar alcance, relevância e estar mais perto da realidade.

Pra dar força na busca por vagas e na construção de carreira de jornalistas não-brancos, Brenda Salinas fez um guia, que foi publicado no site do Poynter, em inglês. Ele foca na valorização da diversidade e dá dicas de como se informar sobre o clima e as oportunidades que as redações dão, orienta a entrevistar a chefia que está contratando e a ter clara a carreira que se quer construir.

O guia faz parte de um programa, do qual Brenda é mentora, para formar novas gerações de profissionais de jornalistas nos EUA, o Next Generation.

A Énois traduziu e editou o material para a realidade brasileira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s