Em julho deste ano, a Escola de Jornalismo da Énois lançou o projeto #ChecaZap – uma agência que checa notícias e informações compartilhadas em grupos de Whatsapp de cunho eleitoral e devolve as checagens nos mesmos canais, numa logística reversa da mensagem.

O projeto foi desenvolvido pelos jovens estudantes da EJ e, agora, sua metodologia será replicada em encontros de formação com 120 professores em quatro cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Belém, com o apoio do Whatsapp. Inscreva-se clicando aqui. 

O objetivo é espalhar o conhecimento básico sobre como o jornalismo é feito, com foco na checagem de informação, e levá-lo para mais perto da escola, dos jovens e da população em geral – seja via sala de aula ou ensino informal. “Jornalismo é uma ferramenta que precisa estar à disposição dos educadores. Ter jovens capazes de ler criticamente a mídia e filtrar as informações que recebem, nos ajuda como sociedade a chegar mais perto de um ambiente democrático”, afirma Nina Weingrill, co-fundadora da Escola de Jornalismo.

As oficinas oferecidas gratuitamente aos professores trazem uma introdução ao processo jornalístico, ferramentas para que possam trabalhar a interpretação de texto, a leitura crítica dos alunos sobre a mídia e também como construir projetos de checagem de notícias para aplicar esses conteúdos nas suas aulas.

“O WhatsApp é grato por trabalhar com a Énois e apoiar sua missão de treinar aspirantes a jornalistas em todos os segmentos da sociedade no Brasil. Nosso objetivo é ajudar a manter as pessoas seguras e educar e capacitar usuários é uma parte importante disso. Além das medidas que adotamos, acreditamos no poder da educação para”, afirma Ben Supple, gerente de políticas públicas do WhatsApp.

Sobre a Énois

A Énois faz dez anos em 2019 e, desde que foi criada, ensina e apoia a produção de jornalismo de jovens das periferias do país – com foco principal na Grande São Paulo. O projeto começou como uma oficina voluntária das jornalistas Nina Weingrill e Amanda Rahra para jovens no Capão Redondo, uma das regiões mais violentas da cidade.   

Nesse tempo, mais de 500 jovens jornalistas foram formados e produziram em equipe reportagens que olham e ressignificam as quebradas para quem vive nelas e seu retrato na imprensa por meio de parcerias de produção e distribuição com veículos como UOL Tab, TV Folha, Nexo e CBN e tratando de consumo, território, gastronomia e política.

O percurso na Escola de Jornalismo passa por conhecer todo o processo jornalístico, da pauta à distribuição, refletir sobre as experiências sociais e afetivas dos jornalistas com seus territórios e relações e também no papel social do jornalismo. Em setembro, a Escola lançou a Caixa de Ferramentas: sistematização da metodologia de ensino e produção jornalística.

Veja as datas e locais dos encontros abaixo.

Serviço:

Jornalismo na Escola | Oficina para professores

  • São Paulo: 29/09, das 9h às 18h, na Casa do Povo (Rua Três Rios, 252) | Veja fotos
  • Belém: 27/10, das 9h às 18h, no Elephant Coworking (Av. Gov. José Malcher – Nazaré, Belém) | Veja fotos
  • Rio de Janeiro: 27/10, das 9h às 18h, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian (R. Benedito Hipólito, 125, Sala 304 – Centro) | Veja fotos
  • Florianópolis: 10/11, das 9h às 18h, no Guroo Centro de Ensino (R. João Pio Duarte Silva, 550 – Córrego Grande)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s