A Énois nasceu em 2009, fundada pelas jornalistas Amanda Rahra e Nina Weingrill a partir de um trabalho de formação voluntário no Capão Redondo, um dos bairros mais violentos da periferia paulistana. Depois de formarem 300 estudantes em cursos presenciais, a dupla resolveu dar um passo adiante para alcançar um número maior de pessoas e partiu para o ensino online.

Em outubro de 2014, criaram a primeira escola online de jornalismo do Brasil voltada ao público jovem, a Escola de Jornalismo. Nela, cursos gratuitos são apresentados por meio de videoaulas, instrutores especialistas e materiais de referência num formato de tutorial, inovando a linguagem utilizada para educação online. Hoje a plataforma já conta com mais de 4 mil alunos cadastrados.

Impacto

Cerca de 70% dos jovens que passaram pela formação presencial cursam hoje uma faculdade (por meio do PROUNI). Destes, 50% estão trabalhando com jornalismo ou na área de comunicação de empresas e fundações privadas como Itaú Social, Instituto Alana e Fundação Lemann. Mais da metade deles possuem projetos próprios e de atuação local – com projetos sociais em seus bairros e coletivos jovens. E 5% deles trabalharam ou trabalham com projetos de políticas públicas, usando o conhecimento em jornalismo e comunicação para apoiar o setor.

Apenas em 2016, a Escola de Jornalismo produziu mais de 20 reportagens como o “Identidade Parcelada”, uma reportagem multimídia sobre consumo jovem e influência de marcas sobre jovens da periferia, o “Menina Pode Tudo”, uma investigação sobre machismo e violência contra jovens de periferia, com participação de meninas de cinco capitais, e o “Jovens Políticos“, uma grande reportagem sobre a bancada jovem na Câmara dos Deputados.

Produzimos também o “Cara do Mundo, Cara de Sampa”, documentário sobre jovens imigrantes e refugiados em São Paulo, que será lançado em 2017 pela TV Futura. E ganhamos o prêmio Undime de Jornalismo e Educação por uma reportagem produzida sobre uma escola democrática no bairro do Campo Limpo, zona sul de SP.

Lançamos o Prato Firmeza, o primeiro guia gastronômico das periferias de São Paulo, que impactou, diretamente, mais de 500 pessoas em debates, encontros e formações em SP. Além de falar, por meio das produções e de parcerias com grandes veículos de comunicação como UOL, UOL Tab, Canal Futura, Agência Pública, Revista Trip e Huffington Post Brasil, com quase um milhão de pessoas.

Criamos a #nanobolsa (um prêmio de R$ 500) para financiar o jornalismo jovem e independente também em outras regiões da cidade e do país. Com ela, apoiamos iniciativas e coletivos de comunicação jovens para falar de problemas locais com impacto nacional.

Reconhecimento

Em 2014, fomos selecionados pela revista americana GOOD como uma das 100 iniciativas globais que ajudam a empurrar o mundo pra frente e pelo BID como uma das 16 start-ups mais inovadoras da América Latina. No mesmo ano, fomos finalistas do Empreendedor Social da Folha de SP. E nos tornamos membros do programa Visão de Sucesso, da Endeavor, e TEDX speakers.

Em 2015, fomos alavancados pela Edge Foundation, fundo internacional de apoio a start-ups de educação e vencemos o prêmio Empreendedor Sustentável.