Estrutura Jornalística

Fortaleça a representatividade nas redações

 

Quem são as pessoas que trabalham na sua redação? E pra quem elas escrevem? Como elas escrevem? A população brasileira é plural e a sua redação? Essas e outras perguntas norteiam o eixo de Estrutura Jornalística.

O jornalismo deve refletir a sociedade, mas para que isso aconteça em sua essência é necessário olhar para dentro e questionar: qual perfil está contando essas histórias?

Para apoiar a construção de um campo jornalístico mais diverso e sustentável o eixo desenvolve estratégias para serem replicadas dentro das empresas. Por meio de encontros e formações, os jornalistas discutem e desenvolvem métodos para repensar como o percurso de trabalho é criado e quais pessoas têm acesso para estarem neste caminho. Além disso, a equipe de Estrutura Jornalística está em constante movimento para entender como os projetos se desenvolvem e, a partir disso, sistematizar e publicar esses modos de fazer. E como o próprio nome do eixo carrega, é preciso mexer nas estruturas para que de fato as mudanças sejam feitas. Realizando encontros e diálogos mais profundos, a equipe oferece consultorias em desenvolvimento dos processos de diversidade.

Para além de questionar a sociedade, o jornalismo também precisa se questionar e repensar os seus processos internos, pois, só assim ele construirá pontes e diálogos sólidos que conversem com a sociedade que ele presta serviço.

Simone Cunha

Coordenadora

Kelayne Santos

Residente

Michelly Melo

Residente