Como ajudar sua avó a não compartilhar dados e notícias falsas

Se você já deletou – ou simplesmente ignorou – sua conta no Facebook, temos um recado: ele tá mais vivo do que nunca. Especialmente para o público mais velho. Em oito anos, o percentual de jovens na plataforma foi de 90% para 50% nos Estados Unidos. E a plataforma tem se consolidado cada vez mais entre idosos.

Acontece que essa parte da população tem pouca familiaridade com as redes e suas funcionalidades e acaba tendo, muitas vezes, comportamentos de risco, como divulgar dados sensíveis e compartilhar, em massa, notícias falsas sem saber que estão fazendo isso. Junte a essa receita o isolamento social causado pela pandemia e as eleições a caminho e você tem uma bomba nas mãos.

Nos perguntamos então como nós, comunicadores, jornalistas e membros ativos dessas e de outras redes podemos conscientizar e orientar a população mais velha sobre os cuidados online? Esse é o tema da próxima Redação Aberta e quem vai nos ajudar com essas respostas é a jornalista Géssika Costa, coordenadora de multiplataformas e repórter na Agência Tatu de Jornalismo de Dados, de Alagoas, onde escreve sobre cidades, trânsito, meio ambiente e economia entre outros assuntos com base em dados públicos. 

Géssika também fundadora e editora do coletivo de jornalismo alagoano O Que Os Olhos Não Vêem. Iniciativa que busca dar visibilidade às vidas e aos fatos dos que são colocados à margem.

Chama todo mundo pra esse papo 🙂

Serviço

Redação Aberta | Como ajudar sua avó a não compartilhar dados e notícias falsas nas eleições
Com Géssika Costa, coordenadora de multiplataformas da Agência Tatu de Jornalismo de Dados e fundadora do coletivo O Que Os Olhos Não Vêem, ambos de Maceió
Data: 11/11, das 19h às 20h30, via Zoom 
Link para inscrição: bit.ly/quero-participar-redacao-aberta


O Redação Aberta é uma parceria da Énois com o City Bureau. Acesse os conteúdos das edições anteriores clicando aqui.