Énois oferece bolsas para comunicadores e ativistas da Amazônia Legal, GO e MS

De março a outubro de 2022, a Énois Laboratório de Jornalismo conduzirá nova edição do curso de Jornalismo e Território, voltada para jornalistas, comunicadores e ativistas das periferias de todas as capitais da Amazônia Legal, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Jornalismo e Território é um curso focado na cobertura de realidades locais. Na edição de 2022, a formação irá se debruçar sobre a cobertura de temas relacionados ao conceito de justiça climática. 

As mudanças climáticas não são apenas uma questão ambiental ou física. Elas também envolvem a dimensão humana. O conceito surge para chamar atenção ao fato de que comunidades diferentes sofrem distintos efeitos do aquecimento global, em proporções desiguais também. Aquelas com menor acesso às políticas públicas e direitos básicos são as que primeiro e mais diretamente sentem os impactos do aquecimento global.

“Essas regiões têm sido as mais afetadas pelo desmatamento. Dos municípios com as maiores taxas de perda de cobertura florestal, dez estão na Amazônia Legal. Além disso, 71% dos municípios nas regiões Norte e Centro-oeste são considerados desertos de notícias. A falta de cobertura local sobre essas temáticas e seus impactos no cotidiano da população – em especial, moradores de regiões periféricas nos centros urbanos – contribui para uma narrativa distante e estereotipada da mídia”, coloca Nina Weingrill, cofundadora da Énois.

Serão cinco ciclos, que irão acontecer online, para pessoas de Belém, Boa Vista, Cuiabá, Campo Grande, Goiânia, Macapá, Manaus, Palmas, Porto Velho, Rio Branco e São Luís

Cada ciclo contará com 10 encontros durante cinco semanas. Cada encontro terá a duração de duas horas (das 10h às 12h, horário de Brasília). Para participar, a pessoa deve ter acesso à internet (via computador ou celular). Além dos encontros para apresentação e debate de conteúdos jornalísticos e relacionados ao conceito de justiça climática, as e os participantes também deverão produzir suas próprias reportagens com edição e mentoria de editores e editoras da Énois. Cada participante receberá uma bolsa de R$ 500 para atender aos encontros e desenvolver a pauta.

“O programa de Jornalismo e Território foi a melhor coisa que me aconteceu no último ano. Eu pude mudar meu olhar para vários aspectos na hora de ‘fazer’ jornalismo e aprender sobre o que acontece ao meu redor, desgrudando mais um pouco das notícias nacionais”, contou Larissa Gomes, participante da edição Sul e Sudeste do curso de Jornalismo e Território 2021. 


Para Sanara Santos, agente de formações da Énois, “a principal transformação de quem passa por Jornalismo e Território é olhar o seu território e quem está lá”. Ela produziu todas as edições da formação, desde 2020. “A maioria das pessoas entra sem o óculos da pauta no território. Eles entram com muitas histórias e questões para serem faladas, mas não compreendem que o território é que oferta as pautas, é o lugar de partida”, lembra.

Além de jornalistas, a formação também é voltada para trabalhadores sociais, da saúde, ativistas, integrantes de movimentos sociais, comunicadores populares e artistas que trabalhem ou desejem trabalhar com comunicação em seus bairros e cidades.

As aulas serão ao vivo, mas também gravadas (em áudio e vídeo), pelo Zoom. As e os participantes também receberão materiais de apoio, links com referências de cada aula e poderão tirar dúvidas ao longo de todo o processo.

Veja abaixo o calendário geral do curso Jornalismo e Território 2022:

> Ciclo 1 | Boa Vista e Manaus | Março e Abril
> Ciclo 2 | Porto Velho e Rio Branco | Maio
> Ciclo 3 | Belém e Macapá | Junho e Julho
> Ciclo 4 | Palmas e São Luís | Agosto
> Ciclo 5 | Cuiabá, Goiânia e Campo Grande | Setembro e Outubro

Skip to content