Redação Aberta #19, veja como foi!

Oi, pessoal, tudo certo por aí? 

Aqui quem fala é Alice de Souza, sou a nova coordenadora de sistematização da Énois. Cheguei com uma missão importante, transformar o que produzimos nas redações em conhecimento replicável. Vou abastecer a Caixa de Ferramentas com muitas referências para vocês e também produzir o Redação Aberta, nosso espaço de construção coletiva de metodologias jornalísticas. É sobre o RA, inclusive, que vim falar hoje aqui. 

Nosso primeiro encontro do ano, a edição #19, abordou um tema urgente: como falar de vacinas para o seu público? Diante da falta de dados completos e do tsunami de desinformação, já percebemos que não tem sido fácil tratar disso. Por outro lado, o Redação realizado na última quarta-feira (10) mostrou vários caminhos possíveis para driblar esse desafio.

Transparência e escuta são duas palavras-chaves, como trouxeram as nossas convidadas, Jessica Pires, jornalista e produtora de conteúdo da Redes da Maré e comunicadora na AMaréVê, no Conjunto de Favelas da Maré, Rio de Janeiro; e Ana Ávila, jornalista, mestra em comunicação pela Unisinos e editora no Sul21, de Porto Alegre.

Escutar o que a audiência quer saber sobre o tema nos ajuda a filtrar os enfoques e gerar maior impacto no território. Para isso, se apoiar numa relação prévia sólida com a comunidade pode ser o pulo do gato. Jéssica contou, por exemplo, que a Redes da Maré escuta a população por meio de projetos sociais, culturais e até em grupos de WhatsApp sobre demandas diversas, como serviços, do Conjunto. Assim, eles conseguem se antecipar, muitas vezes, aos boatos.

Se esse não é o caso do projeto de vocês, contudo, a Ana também mostrou que é possível fortalecer essa relação com os agentes do território durante a pandemia mesmo. O Sul21 criou um grupo no WhatsApp específico sobre coronavírus e convidou, além da audiência, especialistas de referência no assunto. Assim, eles conseguem engajar outras pessoas fora do público já fidelizado. Outro trunfo foi ter uma pessoa dedicada a conversar com os leitores, recolhendo dúvidas e acolhendo as histórias. 

Quer saber mais sobre como foi o nosso papo e o que a experiência delas nos ensina? A gravação da live está disponível na nossa página no Facebook. O conteúdo também virou ferramenta na nossa Caixa da Diversidade. 

Antes de me despedir, queria fazer dois pedidos a vocês. O que acharam do Redação Aberta #19? Conta pra gente no nosso formulário. Para nós, será um prazer ler o feedback de vocês.

O outro pedido é pra que você ajude a garantir o futuro da Énois. Pra gente, impulsionar a diversidade no jornalismo é fazer a mídia se aproximar da população para garantir que informações de qualidade e verificadas estejam ao alcance de todes.

Hoje temos 10 repórteres e 10 editores experimentando e refletindo sobre a diversidade em suas coberturas; mais de 51 tutoriais para tornar seu jornalismo mais diverso (ainda vêm mais por aí);  80 jornalistas e comunicadores em todo o Brasil que passaram pela primeira vez por uma formação de Jornalismo, através do programa Jornalismo e Território; e mais de 300 downloads e 3.000 livros distribuídos sobre a cozinha afrocentrada da cidade de São Paulo (ainda não tem seu Prato Firmeza Preto? Baixe aqui). Bom, isso e tantas outras coisas que não cabem num parágrafo.

Ainda vem muita coisa pela frente… vamos juntes nessa caminhada? Você pode apoiar a Énois assinando nosso financiamento recorrente a partir de R$ 10,00 por mês. É simples e barato. Acesse: benfeitoria.com/enois Se o planejamento mensal não estiver rolando, você pode fazer uma doação única via Pix (CNPJ 24324132000137). Depois não esqueça de enviar o comprovante para o Ivan via e-mail ([email protected]), beleza?

Obrigada e um abraço!
Alice de Souza
Coordenadora de Sistematização

Contato: [email protected]

Skip to content